Os 62 anos de relações entre as Coréias do Norte e do Sul

Desde a divisão da península coreana em duas nações, líderes haviam se encontrado apenas uma vez

Efe,

02 de outubro de 2007 | 13h13

As duas Coréias vivem atualmente uma etapa de melhora de relações, após um longo período de hostilidades que começou com a Segunda Guerra Mundial. Veja uma cronologia com os fatos mais importantes que marcaram as relações entre os dois países:15 de agosto de 1945: Após a derrota japonesa na Segunda Guerra Mundial, a Coréia é dividida em duas partes, à altura do paralelo 38: o norte passa para o controle do bloco soviético, e o sul é controlado pelos Estados Unidos. 10 de maio de 1948: Após o fracasso das negociações com o Norte, o Sul organiza eleições, vencidas por Syngman Rhee, que se torna o primeiro presidente do país. O pleito leva à efetiva divisão da península em dois países. 25 de junho de 1950: A Coréia do Norte invade o Sul sem declaração de guerra, o que leva ao início da Guerra da Coréia. 27 de julho de 1953: Estados Unidos, Coréia do Norte e China assinam um armistício pondo fim à guerra. O acordo, no entanto, nunca foi seguido de um tratado de paz. 21 de janeiro de 1968: A polícia sul-coreana intercepta um comando de 31 agentes norte-coreanos cujo objetivo era matar o presidente sul-coreano Park Chung Hee. 15 de agosto de 1974: Nova tentativa de assassinato contra Park Chung Hee. Na ocasião, um agente norte-coreano atira contra ele durante um discurso. O presidente sul-coreano sobrevive, mas sua mulher morre. Outubro de 1978: Descoberto o terceiro "Túnel de Agressão" sob a Zona Desmilitarizada que separa as duas Coréias. Calcula-se que o túnel permitiria a entrada de 30 mil soldados norte-coreanos armados na Coréia do Sul. 9 de outubro de 1983: O presidente sul-coreano Chun Doo-hwan sobrevive a um atentado a bomba em Yangun que mata 17 dirigentes sul-coreanos e quatro birmaneses. Um capitão do Exército norte-coreano, Kang Min Chol, confessa a autoria. 29 de novembro de 1987: Uma bomba explode em um Boeing 707 da Korean Airlines que viajava de Bagdá para Bangcoc, matando 20 membros da tripulação e 95 passageiros. Um ano depois, uma agente norte-coreana confessa que cometeu o atentado e que foi treinada por uma japonesa seqüestrada por Pyongyang. 9 de março de 1993: Coréia do Sul e EUA iniciam as maiores manobras militares conjuntas do mundo. Pyongyang declara estado de semiguerra. 15 de junho de 1999: A Marinha sul-coreana afunda um torpedeiro norte-coreano, matando cerca de 30 marinheiros, na primeira batalha naval no Mar Amarelo desde a Guerra da Coréia. 14 de junho de 2000: Coréia do Norte e Coréia do Sul realizam uma histórica cúpula em Pyongyang na qual decidem quatro pontos: a reconciliação nacional, a diminuição das tensões militares, a reunião de famílias separadas pela guerra e a cooperação econômica e social. 15 de agosto de 2000: Primeiros encontros de familiares separados. 29 de junho de 2002: Navios de guerra norte-coreanos disparam contra embarcações da Coréia do Sul, matando pelo menos quatro pessoas e deixando 18 feridos. Posteriormente, a Coréia do Norte se desculpa pela agressão. 25 de abril de 2003: A Coréia do Norte anuncia que possui armas nucleares. A tensão entre os dois países se agrava. 28 de agosto de 2003: As duas Coréias decidem conectar as ferrovias e as estradas nas fronteiras entre os dois países. 23 de junho de 2005: Após um silêncio de treze meses, ocorre a maior aproximação bilateral desde a cúpula de 2000. Em uma declaração conjunta de doze pontos, Norte e Sul decidem adotar "medidas práticas e substanciais" para solucionar a crise provocada pelo programa nuclear norte-coreano, além de estabelecer contatos militares e humanitários. 9 de outubro de 2006: A Coréia do Norte realiza um teste nuclear, e Seul suspende o envio de ajuda de emergência ao país. 13 de fevereiro de 2007: As delegações das duas Coréias, EUA, Rússia, Japão e China assinam um acordo que estabelece o fechamento das instalações nucleares da Coréia do Norte em troca de ajuda energética e econômica. 17 de maio de 2007: Pela primeira vez em 50 anos, dois trens cruzam a divisa entre as duas Coréias. 8 de agosto de 2007: As duas Coréias anunciam a realização no final de agosto da segunda cúpula intercoreana de máximo nível em Pyongyang. No entanto, ela é adiada para outubro devido às graves inundações registradas na Coréia do Norte.  2 de outubro de 2007: Os presidentes da Coréia do Norte, Kim Jong-il, e do Sul, Roh Moo-hyun, encontram-se para três dias de reuniões. O objetivo é estabelecer uma agenda para a reconciliação entre os dois países.

Tudo o que sabemos sobre:
Coréia do NorteCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.