Go Nakamura/ Reuters
Go Nakamura/ Reuters

Os Estados que ainda estão contando votos e como eles podem decidir a eleição americana

A decisão de um número recorde de americanos de votar pelo correio neste ano, em meio à pandemia, atrasou a contagem das cédulas em muitas partes do país

Redação, O Estado de S.Paulo

04 de novembro de 2020 | 09h42
Atualizado 04 de novembro de 2020 | 13h54

Conforme esperado, a decisão de um número recorde de americanos de votar pelo correio neste ano, em meio à pandemia, atrasou a contagem das cédulas em muitas partes do país. Autoridades locais alertam que os resultados podem não estar disponíveis até esta quarta-feira, 4, ou mesmo até sexta-feira.

Existem três maneiras de se votar nos EUA: por correspondência; presencialmente de forma antecipada; ou presencialmente no dia da eleição. O prazo limite para contagem dos votos que chegam pelo correio varia entre Estados. As cédulas devem ser depositadas até o dia da eleição, mas, a depender do local, podem ou não ser contabilizadas se chegarem depois disso. 

Além disso, cada Estado tem seus próprios prazos para a apuração. Na Flórida, por exemplo, a apuração dos votos antecipados tem início antes do dia da eleição. Em outros locais, a contagem só começa no próprio dia. 

O resultado da eleição nos Estados Unidos não é uma conta direta de quantos eleitores votaram em cada candidato, mas sim depende de como se dá a votação por Estado. O candidato que vence a eleição em determinado Estado, via de regra, leva todos os votos aos quais o Estado tem direito no colégio eleitoral, instância responsável pela escolha do presidente. Por isso, é importante prestar atenção nos resultados de cada Estado. Enquanto em alguns deles as expectativas são mais nítidas, outros não apresentam uma tendência clara, e podem decidir o resultado da eleição. 

Para Entender

Os Estados que decidem a eleição americana

Estadã viajou a dez regiões que definirão o próximo presidente dos Estados Unidos para entender o que pode dar a vitória a Joe Biden ou a Donald Trump

Acompanhe a situação da apuração em alguns Estados-chave:

 

​PENSILVÂNIA

O Estado começou a processar os votos pelo correio na manhã do dia da eleição, seguindo a lei estadual, mas certos condados disseram que não iriam começar o processo até quarta. 

“Os condados estão trabalhando duro para ter os resultados assim que possível”, afirmou nesta terça-feira, 3, a Secretária de Estado da Pensilvânia, Kathy Boockvar. “Vai levar tempo”. 

Autoridades da Filadélfia relataram intenção de contabilizar durante a noite, sem reportar atualizações nesse período. Depois de contar até o início da manhã de quarta-feira, o Condado de Alleghany, com sede em Pittsburgh, deve retomar o processo no final do dia.

"Ainda temos mais de 1 milhão de cédulas pelo correio para contar na Pensilvânia. Prometi aos habitantes da Pensilvânia que contaríamos todos os votos e é isso que vamos fazer”, escreveu o governador democrata Tom Wolf, no Twitter, por volta das 05h da manhã (horário de Brasília).

O Estado permite a contagem de votos pelo correio que cheguem até sexta-feira, 6, desde que tenham sido enviados até terça. A medida é contestada pelos republicanos.

Segundo o The New York Times, a estimativa no momento é de que cerca de 79% dos votos já tenham sido apurados, mostrando uma vantagem para Donald Trump. O republicano conta com cerca de 53,7% dos votos, frente a 44,9% do democrata Joe Biden. O veículo ressalta, porém, que a expectativa é de que o restante dos votos pelo correio favoreça os democratas. 

WISCONSIN

No Estado, não foi permitido iniciar a apuração dos votos enviados pelo correio até o dia da eleição. A administradora da Comissão Eleitoral, Meagan Wolfe, disse na noite de terça à imprensa que esperava que as jurisdições locais, que são responsáveis ​​pela contagem no Estado, continuem a contagem pela manhã.

“Não falarei por algumas de nossas jurisdições, mas algumas das jurisdições maiores estão prevendo que contarão pela manhã”, disse ela. “Não há prazo, eles devem continuar contando até que terminem.”

Segundo o The New York Times, com cerca de 97% dos votos apurados, Joe Biden conta com aproximadamente 49,5% dos votos, frente a 48,8% de Donald Trump.

MICHIGAN

Em Michigan, onde jurisdições com mais de 25 mil pessoas tiveram que esperar até o dia 2 de novembro para começar a contagem dos votos enviados antecipadamente pelo correio, a secretária de Estado Jocelyn Benson anunciou na noite de terça que a eleição contou com ao menos 3,3 milhões de votos de ausentes. 

A expectativa é de que este número aumente para 3,5 milhões assim que os lotes finais de cédulas de ausentes forem coletados, disse Benson em entrevista coletiva. Ela estimou que entre 2 milhões e 2,5 milhões de pessoas votaram pessoalmente na terça-feira, mas disse que as autoridades teriam uma ideia melhor dos totais de comparecimento nas próximas horas. Ela anunciou a possibilidade de um resultado completo em 24 horas. 

Esta foi a primeira eleição presidencial desde que os eleitores de Michigan aprovaram uma lei que permite o registro eleitoral no mesmo dia - e ultrapassou  a marca de 28 mil eleitores registrados no mesmo dia, com as cidades de Detroit, Ann Arbor e Grand Rapids contabilizando o maior número de novos eleitores. 

Segundo o The New York Times, o Estado conta com cerca de 92% dos votos apurados e a disputa segue acirrada. Joe Biden conta com 49,5% dos votos, frente a 48,8% de Trump. 

 

GEORGIA

Os condados redutos democratas na área de Atlanta e subúrbios ainda estavam tabulando os resultados na manhã de quarta-feira.

No condado de Fulton, o mais populoso do Estado e um confiável democrata, cinco funcionários da State Farm Arena em Atlanta ainda examinavam as cédulas de ausentes às 12h30 (02h30, pelo horário de Brasília), disse a porta-voz do condado Regina Waller. Um cano de água estourou na arena na manhã de terça-feira, levando a um atraso de duas horas na contagem dos votos ausentes. Autoridades do condado disseram que nenhuma cédula ou máquina foi danificada.

“No momento, não tenho informações sobre a que momento as coisas vão se encerrar. Parece que ficaremos aqui por um tempo”, disse Waller. 

O condado de DeKalb, também fortemente democrata, que abrange parte de Atlanta, começou a divulgar resultados parciais na noite de terça-feira e continuaria tabulando os votos presenciais na madrugada de quarta-feira, disse o porta-voz Erik Burton.

No condado de Gwinnett, localizado a nordeste de Atlanta, cerca de 80 mil cédulas de ausentes foram marcadas para um processo de "adjudicação", o que significa que não puderam ser digitalizadas e tabuladas para serem incluídas nos resultados de terça-feira à noite, disse o porta-voz do condado, Joe Sorenson.

As cédulas são contadas em lotes de 25 unidades, e as autoridades do condado descobriram na terça-feira que 3.200 lotes não passariam pelo sistema por causa de um erro em pelo menos uma das cédulas, disse Sorenson.

O conselho do condado decidiu passar essas cédulas pelo sistema e depois revisar os lotes de cédulas novamente para ver quais eram problemáticas, o que poderia mudar os resultados, disse ele.

Segundo o The New York Times, a contagem deve ser finalizada nesta quarta. Até o momento, o veículo indica cerca de 92% dos votos apurados, com 50,5% para Donald Trump e 48,3% para Joe Biden. /WP, NYT e Reuters

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.