Os EUA já perderam 95 soldados, diz Taleban

Desde que começaram os bombardeios anglo-americanos sobre o Afeganistão, o EUA já perderam 95 soldados e um número equivalente deles tornou-se prisioneiro do Taleban. Foi o que afirmou hoje em Islamabad o embaixador do Taleban no Paquistão, Abdul Salam Zaeef, em uma entrevista à imprensa na qual pediu à ONU e a outras organizações assistenciais que evitem uma catástrofe humanitária no Afeganistão. Até o momento, porta-vozes do Pentágono têm admitido que perderam apenas dois homens em um acidente com um helicóptero em 19 de outubro na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão. Segundo Zaeef, os EUA fazem de tudo para dissimular suas perdas, mas ele disse não poder indicar o número exato de americanos capturados pelos talebans. O embaixador afegão também pediu a ajuda das Nações Unidas e das organizações não-governamentais para que evitem o que definiu como uma catástrofe humanitária e disse que seu país "se empenha em colaborar com a ONU para evitar que a situação piore". Coincidindo com as declarações de Zaeef, um alto dirigente taleban citado pela agência iraniana Irna, o mulá Mohammad Hassan Rahmani, disse que "alguns espiões ou comandos americanos" foram aprisionados pelos talebans na região central e no sul do Afeganistão. Rahmani, representante dos estudantes de teologia, disse que foram feitos contatos com o ex-primeiro-ministro fundamentalista afegão Gulbuddin Hekmatyar, que vive no exílio em Teerã, para que o ex-chefe de governo colabore na luta contra os americanos. "Hekmatyar prometeu enviar seus homens para esta guerra", afirmou Rahmani, lembrando que os talebans estão dispostos a lutar numa guerra longa e têm "armas e munições suficientes para mais de 20 anos". Os talebans não mencionaram baixas em suas próprias fileiras, mas disseram que ao menos 20 civis morreram no sul e no norte do Afeganistão devido aos bombardeios americanos. Segundo a agência de notícias Aip, próxima ao regime de Cabul, seis civis morreram durante um ataque aéreo sobre o distrito de Keshendeh, 70 km ao sul de Mazar-i-Sharif, a maior cidade do norte do Afeganistão. A agência oficial Bakhtar citou a morte de uma dezena de civis e ferimentos em vários outros, todos no norte do país. Uma bomba, escreveu a Aip, caiu sobre uma casa em Keshendeh, matando seis pessoas. Perto dessa cidade, estão ocorrendo violentos combates entre os talebans e forças de oposição. Também em Cabul a aviação americana atacou vários objetivos esta manhã: a base de Reshkhor, ao sul da cidade, e o aeroporto, localizado no lado norte da capital afegã. Outros alvos da aviação militar americana hoje foram as cidades de Herat e Kandahar. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.