Os maiores ataques a bomba no Iraque

A série de explosões que deixou ao menos 150 mortos nesta quinta-feira no enclave xiita de Cidade Sadr, na capital do Iraque, é o mais sangrento atentado a bomba contra um mesmo alvo realizado no país desde a invasão americana, em 2003. Os números só são comparáveis aos ataques simultâneos de Bagdá e Kerbala realizados em março de 2004, quando 171 pessoas morreram. Veja abaixo uma lista dos ataques mais mortíferos desde que os Estados Unidos derrubaram o regime de Saddam Hussein. 29 de agosto de 2003: um carro bomba deixa ao menos 83 mortos, incluindo o líder xiita Ayatollah Mohammed Baqer al-Hakim. Ataque aconteceu na mesquita de Imam Ali, na cidade de Najaf. 1º de fevereiro de 2004: 117 pessoas são mortas quando dois atacantes suicidas se explodem nos escritórios das duas principais facções curdas do Iraque, na cidade de Arbil. 2 de março de 2004: 171 pessoas são assassinados em dois ataques simultâneos nas cidades de Bagdá e Kerbala. 28 de fevereiro de 2005: Um ataque com carro-bomba no sul de Bagdá mata 125 pessoas e deixa outras 130 feridas. Este foi o pior ataque com apenas um artefato desde o início da guerra. 16 de julho de 2005: Um atacante suicidada explode um caminhão bomba próximo a uma mesquita xiita na cidade de Mussayib, matando 98 pessoas. 14 de setembro de 2005: Suicida mata 114 pessoas em um ataque a bomba em um distrito xiita de Bagdá. Outras 156 pessoas ficam feridas. 29 de setembro de 2005: 98 pessoas morrem em três explosões coordenadas com carros-bomba na cidade de Balad. 5 de janeiro de 2006: Dois atacantes suicidas matam cerca de 120 pessoas e ferem mais de 200 nas cidades de Kerbala e Ramadi. 1º de julho de 2006: Um ataque com um carro-bomba em um mercado no enclave xiita de Cidade Sadr mata 64 pessoas e fere outras 114. O até então desconhecido grupo terrorista Apoiadores do Povo Sunita assume a responsabilidade pelas mortes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.