Os vínculos do Sendero com a cocaína

Em 2008, grupos remanescentes da guerrilha Sendero Luminoso ganharam força com a produção de cocaína em áreas cocaleiras do Peru. De inspiração maoista, na esteira da proliferação de guerrilhas na região durante a Guerra Fria, o Sendero ganhou fama como a mais feroz e sanguinária organização revolucionária da América Latina. Chegou a ter 10 mil integrantes e foi responsável por mais de 35 mil mortes entre 1980 e 1999. Criado nos anos 70 pelo professor de filosofia Abimael Guzmán, o principal objetivo do grupo era tomar o poder e destruir as "instituições burguesas". Em 1983, como vingança pela morte de seu representante em Santiago de Lucanamarca, senderistas mataram 69 pessoas na comunidade - entre elas 20 crianças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.