Osama foi agente da CIA pago por Bush, afirma Fidel

O ex-presidente cubano Fidel Castro disse que o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, é um agente pago pela Agência Central de Inteligência (CIA) que sempre aparecia para assustar o mundo quando o ex-presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, precisava. Segundo Fidel, documentos recentemente postados na internet provam isso.

AE-AP, Agência Estado

27 de agosto de 2010 | 16h04

"Sempre que Bush precisava espalhar o medo e fazer um grande discurso, Osama aparecia e ameaçava as pessoas com uma história sobre o que ele iria fazer", disse Fidel, após se encontrar com o escritor lituano Daniel Estulin, famoso por elaborar teorias da conspiração sobre grupos que querem dominar o mundo. "O apoio de Osama nunca faltou para Bush, na realidade, ele era um subordinado", acrescentou.

Fidel disse que documentos recentemente postados no site WikiLeaks.org, que vazou milhares de páginas de informações classificadas sobre a guerra afegã, "efetivamente provaram que ele era um agente da CIA". Fidel não detalhou as acusações.

Os comentários do ex-presidente cubano foram publicados hoje no jornal Granma, do Partido Comunista, e foram os mais recentes de uma série de comunicados do líder de 84 anos, que há poucos meses saiu de um período de reclusão e enfermidade. Fidel também havia previsto que a eclosão de uma guerra mundial iria interromper a etapa final do mundial de futebol na África do Sul.

Na semana passada, ele começou a destacar o trabalho de Daniel Estulin, que escreveu uma trilogia de livros sobre o Clube de Bilderberg, cujos participantes, nomes proeminentes nas finanças, política, mídia e formadores de opinião, se encontram uma vez por ano a portas fechadas.

A natureza secreta do grupo, bem como as personalidades que fizeram parte dele, incluído o ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger, levaram a especulações de que a organização opera um tipo de governo global, controlando não apenas a política e a economia mundiais, como até a cultura.

Durante o encontro, Estulin disse a Fidel que a voz verdadeira de Osama foi ouvida pela última vez no final de 2001, não muito depois dos ataques terroristas de 11 de setembro. Segundo ele, a pessoa que fez os alertas sobre ataques terroristas depois daquela data, se passando por Osama bin Laden, era um "ator ruim".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.