OSCE condena prisão arbitrária na Bielo-Rússia

O líder da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e ministro do exterior belga, Karel De Gucht, condenou nesta quinta-feira a detenção do líder da oposição bielo-russa Alexander Milinkevich e exigiu sua liberação imediata. Na manhã desta quinta, a corte da capital bielo-russa, Minsk, sentenciou Milinkevich a 15 dias de prisão por participar de um protesto. "A ação demonstra, mais uma vez, a falta de respeito do governo da Bielo-Rússia pelos valores democráticos, incluindo o direito de livre expressão e opinião. Líderes da oposição deveriam ficar a salvo de prisões arbitrárias", disse De Gucht, que participou de uma reunião com ministros da OTAN na capital búlgara. O secretário geral da OTAN, Jaap de Hoop Scheffer, também condenou a prisão, dizendo que "a comunidade Euro-Atlântica não pode aceitar esse tipo de coisa". Apoio alemão O ministro do exterior alemão, Frank-Walter Steinmeier, também condenou a prisão do líder oposicionista na Bielo-Rússia. Steinmeir disse que ouviu a notícia com "grande indignação". "Isso é tentativa clara de intimidar e silenciar a oposição democrática", disse Steinmeier em um comunicado. "Com isso, o governo bielo-russo está se distanciando mais dos valores da comunidade européia, mas também de seus próprios cidadãos", completou o ministro alemão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.