OSCE diz que referendo sobre a Crimeia é ilegal

O referendo marcado para domingo, 16 de março, sobre a separação da Crimeia da Ucrânia e anexação da península à Rússia é ilegal, disse nesta terça-feira o presidente da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e ministro das Relações Exteriores da Suíça, Didier Burkhalter.

AE, Agência Estado

11 de março de 2014 | 18h17

"No seu atual formato, o referendo sobre a Crimeia marcado para 16 de março de 2014 está em contradição com a Constituição ucraniana e deve ser considerado ilegal", assinalou Burkhalter, em nota divulgada pela organização. Por esse motivo, a OSCE não irá enviar observadores para monitorar o referendo, destacou. Ele também pediu a todas as partes envolvidas que evitem apoiar atividades inconstitucionais.

Burkhalter alertou que mudar a Constituição da Ucrânia e discutir autonomia para regiões levam tempo. Se todas as partes interessadas não estão de acordo, o processo pode provocar tensões, afirmou, em vez de levar a uma solução definitiva que dê respostas às preocupações da população.

O presidente da OSCE repetiu comentários de que está pronto para realizar discussões com todas as partes e pediu a todos os Estados-membros da OSCE que aprovem o envio de uma missão de monitoramento para a Ucrânia. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.