Otan acusa Assad por massacre e diz que ataque não pode ficar sem resposta

Secretário-geral da aliança atlântica diz que regime sírio será 'responsabilizado'

O Estado de S. Paulo,

28 de agosto de 2013 | 14h56

BRUXELAS  - O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, disse nesta quarta-feira que informações de fontes variadas apontam para as forças do presidente Bashar Assad como responsáveis pelo uso de armas químicas na Síria.

Falando depois de uma reunião de embaixadores da Otan em Bruxelas, Rasmussen disse que qualquer uso de tais armas é "inaceitável e não pode ficar sem resposta", embora não tenha sugerido qualquer resposta.

"Essa é uma clara violação das normas e práticas internacionais de longa data. Os responsáveis devem ser responsabilizados", disse ele em comunicado.

Rasmussen disse que a aliança militar  manteria a situação na Síria sob "atenta análise". / REUTERS


 

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaarmas químicasOtanBashar Assad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.