Otan admite que 12 civis afegãos morreram em ofensiva

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) admitiu que doze civis afegãos morreram neste domingo depois que dois mísseis disparados contra insurgentes erraram o alvo e atingiram uma casa no segundo dia da maior ofensiva militar contra o Taleban desde a invasão do Afeganistão, liderada pelos EUA em 2001.

AE-AP, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2010 | 19h00

A Otan disse que dois foguetes do Sistema de Artilharia de Mísseis de Alta Mobilidade foram atirados contra insurgentes que lutavam contra as forças afegãs e da Otan, mas caíram cerca de 300 metros longe do alvo. "Os foguetes atingiram uma casa, matando 12 civis", afirmou a Otan. A morte dos civis é um golpe nos esforços da Otan e do governo do Afeganistão para conseguir a lealdade da população e afastá-la dos insurgentes.

"Nós lamentamos profundamente essa trágica perda de vidas", declarou o general Stanley McChrystal, o comandante-chefe no Afeganistão. "A atual operação na Província de Helmand tem o objetivo de restaurar a segurança e a estabilidade nesta região vital do Afeganistão. É lamentável que, no decorrer de nossos esforços conjuntos, vidas inocentes tenham se perdido", completou.

McChrystal disse que pediu desculpas ao presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, e suspendeu o uso do sistema de mísseis até que o incidente seja apurado. Karzai ordenou uma investigação para apurar quem disparou o foguete. Antes do início da ofensiva, no sábado, Karzai implorou aos líderes militares afegãos e estrangeiros que fossem "extremamente cuidadosos com a segurança dos civis".

Até agora, as forças de coalização sofreram duas baixas na ofensiva - um soldado americano e um britânico. Os oficiais afegãos disseram que pelo menos 27 insurgentes foram mortos na operação. A ofensiva é a maior operação conjunta desde a invasão ao Afeganistão em 2001, com mais de 15 mil soldados envolvidos. Metade deles está na cidade de Marjah, epicentro da operação. Acredita-se que entre 400 e mil insurgentes - incluindo mais de 100 combatentes estrangeiros - estejam na cidade.

O general de brigada Larry Nicholson, comandante dos fuzileiros navais norte-americanos, afirmou que pode levar semanas para que a ofensiva tome o forte do grupo fundamentalista Taleban na cidade. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtanofensiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.