Otan admite que civis morreram durante bombardeio

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) admitiu a responsabilidade pela morte de civis durante um bombardeio a Trípoli ocorrido na noite de ontem. O grupo havia sido acusado pelo governo da Líbia de ter matado nove civis - entre eles duas crianças - durante a investida.

AE, Agência Estado

19 de junho de 2011 | 18h12

O ministro de Relações Exteriores do país, Abdul-Ati al-Obeidi, disse que além dos mortos outras 18 pessoas foram feridas. "Esse bombardeamento deliberado é um chamado direto para que todas as pessoas livres do mundo e todos os muçulmanos iniciem uma jihad global contra o Ocidente criminoso e opressivo e nunca mais permitam que organizações criminosas como a Otan decidam o futuro de outras nações soberanas e independentes", afirmou o ministro durante uma conversa com jornalistas.

Jornalistas foram levados ao local do ataque e ao hospital onde estavam os corpos de uma mulher e duas crianças que, segundo as autoridades líbias, pertenciam à mesma família e foram encontrados entre os escombros de uma residência. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
OtanmortesbombardeiosLíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.