Otan admite ter ajudado Taleban para negociar com governo afegão

Comandante das tropas internacionais no país diz que aliança tem papel fundamental no diálogo

Agência Estado e Associated Press

15 de outubro de 2010 | 12h36

LONDRES - O general americano David Petraeus, chefe das tropas estrangeiras no Afeganistão, confirmou nesta sexta-feira, 15, que a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) deu passagem segura para importantes líderes do Taleban. Com isso, as lideranças do grupo puderam viajar até Cabul para negociar com o governo afegão, que é apoiado pelos EUA.

 

Petraeus se recusou a dar detalhes sobre o papel da aliança nas conversas - e o diálogo foi qualificado apenas como "preliminar". O governo afegão já admitiu anteriormente que mantém conversas pela reconciliação com o Taleban, com algum auxílio da Otan.

 

O general dos EUA disse a repórteres que "não é a mais fácil das tarefas" para um líder do Taleban chegar até Cabul, a não ser que as forças da Otan permitam isso. Segundo ele, a Otan "está ciente disso (das conversas) e permite que elas ocorram".

 

Os diálogos, não confirmados pelos insurgentes, fazem parte do plano de paz e reconciliação lançado pelo presidente afegão, Hamid Karzai, como uma alternativa pacífica para acabar com o conflito no país, que já dura mais de nove anos.

 

O Taleban, porém, diz que um diálogo só seria possível com a retirada prévia das tropas internacionais do Afeganistão. O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou que começaria a retirar as tropas americanas do país a partir de julho de 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtanTalebanmovimentação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.