Otan anuncia a morte do suposto mentor do ataque ao hotel de Cabul

Aliança declarou que terrorista 'foi morto em um bombardeio de precisão' durante ataque aéreo

Agência Estado e Efe

30 de junho de 2011 | 04h47

Pelo menos 21 pessoas morreram durante ataque ao Hotel Intercontinetal, 9 delas militantes      

 

 

 

CABUL - As Forças da Otan no Afeganistão anunciaram nesta quinta-feira, 30, a morte de um importante chefe taleban da rede Haqqani, vinculado à Al-Qaeda.

 

Ismail Jan foi morto na quarta-feira, 29, em um ataque aéreo na província oriental de Paktiya. A rede Haqqani teria sido a responsável pelo ataque com homens-bomba ao luxuoso Hotel Intercontinental, de Cabul, na terça-feira, no qual morreram 21 pessoas.

 

Em comunicado, a Otan disse que Jan "foi morto em um bombardeio de precisão". "Ele era o número dois da rede Haqqani, no Afeganistão, chefiada por Haji Mai Khan", afirmou a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf, na sigla em inglês).

De acordo com essa versão, no bombardeio também morreram "vários" guerrilheiros da rede, um grupo que tem sua base principal nas áreas tribais do oeste do Paquistão e que tem ideologia e estratégia semelhantes às da insurgência taleban.

Segundo os Estados Unidos, este é um dos grupos mais resistentes e um dos maiores entraves às ações da Otan em território afegão.

"A rede Haqqani, coordenada com membros do movimento taleban, está por trás do ataque", garantiu a Isaf em comunicado.

O ataque contra o hotel contribuiu para semear dúvidas sobre a capacidade das forças afegãs, que devem assumir o controle da segurança em Cabul e em outras seis zonas afegãs a partir de julho.

Há atualmente no Afeganistão 150 mil soldados estrangeiros, que começarão a abandonar o país no mês que vem em uma retirada progressiva cujo fim está previsto para 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.