Otan anuncia fim da missão de treinamento no Iraque

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) vai encerrar sua missão de treinamento no Iraque e retirar todos os seus soldados do país até 31 de dezembro, informou a aliança nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

12 de dezembro de 2011 | 12h47

As conversações sobre a extensão da missão ficaram paralisadas por causa do pedido da Otan para conceder imunidade aos treinadores estrangeiros, questão que anteriormente prejudicara os planos para manter uma presença militar norte-americana residual no país.

O primeiro-ministro iraquiano Nouri al-Maliki pediu que a aliança estendesse sua missão de treinamento, que já dura oito anos, até o final de 2013, mas insistiu na premissa de que todos os militares da Otan no país fossem submetidos às leis iraquianas e ao sistema judicial do país.

Os Estados Unidos e a Otan temem que seus militares não sejam submetidos a julgamentos justos no Iraque, já que o sentimento antiocidental no país é muito alto.

O Iraque baseou suas exigências em dois incidentes violentos. Um deles foi o tiroteio de 2007 na praça Nisoor, em Bagdá, quando 17 iraquianos foram mortos por seguranças privados norte-americanos. O outro ocorreu em Haditha, quando tropas norte-americanas mataram 24 civis.

O comunicado da Otan diz que o Conselho do Atlântico Norte, o organismo administrativo da aliança, decidiu nesta segunda-feira encerrar a missão de treinamento porque "o acordo para a extensão desse programa não foi possível, apesar das negociações conduzidas durante várias semanas".

A Otan tem cerca de 130 conselheiros de 13 de seus países membros e da Ucrânia no Iraque. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueOTANtreinamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.