Otan aumenta patrulha aérea por causa da Rússia

O novo chefe da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jens Stoltenberg, afirmou que a aliança está em preparação e aumentando sua patrulha aérea em resposta ao aumento na atividade da Força Aérea russa no leste da Europa.

Estadão Conteúdo

30 de outubro de 2014 | 11h53

Stoltenberg afirmou que a Otan não está de volta aos termos da Guerra Fria em relação ao país, seu antigo arqui-inimigo, mas que o comportamento da Rússia tem minado severamente a confiança construída nas últimas décadas. As tensões entre a Otan e os russos estão altas desde que o país anexou a península da Crimeia a seu território em março deste ano.

Durante visita a Atenas, Stoltenberg reafirmou que a aliança "permanece vigilante" devido ao número de voos militares russos no leste do continente europeu, que foi triplicado neste ano. Ele também pediu à Rússia que retire suas tropas da Ucrânia e alertou para os planos de rebeldes separatistas para realizar eleições locais no leste do país.

A Rússia, no entanto, nega manter soldados no país vizinho. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.