REUTERS/Francois Lenoir
REUTERS/Francois Lenoir

Otan aumentará sua presença no Afeganistão para funções de treinamento

Segundo secretário-geral da entidade, objetivo é ajudar os afegãos a combater e assumir a plena responsabilidade de segurança

O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2017 | 12h22

BRUXELAS - O contingente de tropas dos países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, onde treinam e prestam consultoria às forças de segurança do país como parte da missão "Apoio Resoluto", aumentará, anunciou nesta quinta-feira, 29,  o secretário-geral da Aliança Atlântica, Jens Stoltenberg.

"Posso confirmar que aumentaremos nossa presença no Afeganistão", afirmou Stoltenberg antes de uma reunião com os 29 ministros da Defesa da Otan em Bruxelas que deve abordar temas como os gastos militares ou a ciberdefesa.

O ex-premiê norueguês não antecipou um número determinado de soldados e disse apenas que as autoridades afegãs solicitaram "alguns milhares". Mas ele explicou que a presença no Afeganistão "não é para realizar operações de combate".

"O objetivo é ajudar os afegãos a combater e assumir a plena responsabilidade de segurança", completou secretário-geral da Otan, para quem as prioridades seriam reforçar as unidades especiais do exército, o apoio ao desenvolvimento das Forças Aéreas e a formação de seus comandos.

Desde a retirada da maioria das tropas ocidentais no fim de 2014, a operação Apoio Resoluto conta com 13.500 homens, metade deles dos Estados Unidos.

Fontes diplomáticas indicaram as autoridades estudam um aumento de 3.000 soldados. Os aliados pretendem abordar a questão com o secretário americano de Defesa, Jim Mattis, mas Stoltenberg disse que não espera números concretos na reunião./ AFP

 

Tudo o que sabemos sobre:
OtanAfeganistãoEstados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.