Otan bombardeia três portos na Líbia para proteger rebeldes

Marinha de Kadafi atacava rebeldes em Misrata; operação foi a mais ampla da aliança no país

Agência Estado

20 de maio de 2011 | 14h28

TRÍPOLI - Jatos da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) bombardearam três portos na Líbia durante a noite da quinta-feira, 19, com o objetivo de atacar a Marinha do ditador Muamar Kadafi, em um esforço para proteger o porto de Misrata, tomado pelos rebeldes. Foi o ataque mais amplo contra as forças navais líbias desde que a aliança entrou no conflito.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos da ditadura na Líbia

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

especialEspecial: Os quatro atos da crise na Líbia

 

Um dos ataques atingiu o principal porto de Trípoli, onde repórteres viram chamas e fumaça. Outros alvos foram o porto de Khoms, entre Trípoli e Misurata, e o de Sirt. Em Bruxelas (Bélgica), a Otan confirmou nesta sexta o ataque a portos e acusou a Líbia de usar navios para agravar o conflito. Rebeldes lutam para manter o controle de Misurata, apesar de vários ataques das forças de Kadafi.

 

A Otan opera no âmbito de uma resolução do Conselho de Segurança da Organização ds Nações Unidas (ONU), para garantir a segurança da população civil. A aliança também atacou na manhã desta sexta uma academia de polícia no bairro de Tajoura, em Trípoli, disse uma fonte do governo local. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.