Otan concorda com ação contra extremistas, diz Obama

De acordo com Obama, a rede extremista é vista pela Otan como uma "organização selvagem" que precisa ser "destruída"

Estadão Conteúdo

05 de setembro de 2014 | 14h53

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou nesta sexta-feira que todos os países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) concordam com uma ação imediata contra o Estado Islâmico, pois, para eles, o grupo representa uma ameaça aos membros da aliança.

De acordo com Obama, a rede extremista é vista pela Otan como uma "organização selvagem" que precisa ser "destruída". Em encontro de dois dias do bloco que ocorre no País de Gales, o presidente dos EUA tem pressionado seus aliados para formarem um grupo de nações capaz de conter o Estado Islâmico, lançando mão de força militar, pressões diplomáticas e sanções econômicas.

Ele acrescentou que essa coalizão internacional precisa ir além do países do Ocidente, incluindo também os estados onde os sunitas são maioria. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.