Otan: crise no Leste Europeu é um 'sinal de alerta'

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, classifica a crise das relações entre a Rússia e a Ucrânia como a maior ameaça à segurança e estabilidade desde o fim da Guerra Fria.

WASHINGTON, 19, Agência Estado

19 de março de 2014 | 12h53

Em um discurso marcado para esta quarta-feira, o chefe da Otan deve destacar que a anexação da Crimeia pela Rússia é um "sinal de alerta" para os parceiros internacionais comprometidos com uma Europa livre e pacífica. A Associated Press teve acesso ao discurso que Rasmussen fará na Brookings Institution, em Washington, hoje à tarde.

Espera-se também que o secretário-geral da Otan trate de outros assuntos considerados prioritários pela organização, entre os quais o fim da Guerra do Afeganistão, a manutenção da paz em Kosovo e a tentativa de barrar a atuação de piratas na costa da Somália.

Rasmussen deverá dizer também que a agressão da Rússia ao território ucraniano terá impacto por um longo período nas nações filiadas à Otan. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaOtanCrimeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.