OTAN cuidará de embargo de armas contra a Líbia

Plano de ação, mas ainda não será posto em prática por dividir os países membros da Otan

estadão.com.br

22 de março de 2011 | 13h59

Os países da OTAN, a aliança dos países do Atlântico norte, decidiram que a organização vai estar à frente da aplicação do embargo de armas contra a Líbia de Muamar Kadafi. Fazendo uso de sua força naval, a OTAN assegurará assim que o bloqueio decidido pelo Conselho de Segurança da ONU em 26 de fevereiro ocorra de modo efetivo.

 

 Veja também: 
especialTwitter: 
Acompanhe os relatos de Lourival Sant'anna
especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia
blog Arquivo: Kadafi nas páginas do Estado
especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio
especialCharge: O pensamento vivo de Kadafi

 

Na semana passada, quando decidiu-se pelo ação militar na Líbia, o embargo foi ampliado, incluindo a inspeção rigorosa das cargas aéreas e navais com destino à Líbia. Os 28 países membro da OTAN, reunidos no Conselho Atlântico - órgão executivo da entidade -, vêm discutindo que postura tomar em relação à Líbia.

 

Estuda-se a participação da aliança na garantia da zona de exclusão área líbia, até momento liderada pela coalizão de França, Grã-Bretanha e França. O secretário-geral da OTAN, Anders Fogh Rasmussen, afirmou que o plano está pronto - mas não necessariamente será posto em prática.

 

"A OTAN finalizou seus planos militares para ajudar a impor uma zona de exclusão aérea", disse Rasmussen nesta terça-feira, 22. A Itália defende que a OTAN encabece a ação militar na Líbia, mas outros países, como a própria França, são reticentes à ideia, dada a rejeição que a organização sofre no mundo árabe desde a guerra no Afeganistão.

 

Para a operação do embargo, navios da OTAN já estão posicionados na parte central do mar Mediterrâneo. (com Efe)

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.