Otan deve atender aos pedidos do Afeganistão, diz Blair

O primeiro-ministro do Reino Unido, Tony Blair, disse nesta terça-feira que é importante o compromisso militar da Otan no Afeganistão, e afirmou que as nações que fazem parte da Aliança têm o dever de atender a mais pedidos de ajuda.Em declarações à imprensa em sua residência de Downing Street, Blair disse que é de "fundamental importância" a presença no Afeganistão para a segurança de seu país, mas insistiu em que "é importante que toda a Otan considere isso sua responsabilidade"."O compromisso britânico no Afeganistão é importante. (As tropas) estão causando dano real aos talibãs e à Al-Qaeda", acrescentou. "Não deveríamos nos esquecer de que a razão pela qual nossas tropas estão no Afeganistão, junto com outras nações da Otan, são os ataques terroristas do 11 de setembro (de 2001)", disse o primeiro-ministro britânico.Blair acrescentou que as forças britânicas "lutam emcircunstâncias difíceis". Antes, um porta-voz oficial disse que Londres apóia o pedido da Otan sobre o envio de mais forças ao Afeganistão, mas considera que o Reino Unido já fez sua contribuição."Apoiamos o secretário-geral da Otan (Jaap de Hoop Scheffer). Se a Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf) precisa de tropas, então deveria tê-las", acrescentou o porta-voz.Em declarações na terça-feira à BBC, o secretário-geral da Otan não quis falar de números, mas disse que são necessárias mais forças, porque a resistência dos taleban é maior que a esperada.Desde o meio do ano, a Isaf - sob comando da Otan - controla a segurança em 85% do território afegão, e sua missão é estender a autoridade do Governo e criar um clima favorável à reconstrução do país.O Reino Unido, que assumiu em maio de 2006 o comando da Isaf, tem cerca de 4.000 soldados no sul afegão, onde a situação de segurança piorou nos últimos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.