Otan deve propor à Rússia coooperação em defesa antimísseis

Segundo aliança atlântica, o acordo prevê uma adequação entre os escudos russo e do bloco

Efe,

19 de novembro de 2010 | 17h40

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) deve propor neste sábado à Rússia um projeto de cooperação em sistema de defesa antimísseis. Segundo o secretário-geral da aliança, Anders Fogh Rasmussen, o acordo prevê uma adequação entre os escudos russo e da Otan.

Veja também:

linkRetirada do Afeganistão deve ser concluída até 2014

A proposta será feira durante a cúpula que os líderes aliados realizarão em Lisboa com o presidente russo, Dmitri Medvedev, e que a Otan espera que represente "um novo começo" para sua relação com a Rússia, marcada pelos altos e baixos desde os anos 1990.

Rasmussen defendeu nesta sexta-feira a cooperação da Rússia em uma política de defesa antimísseis que possa criar uma arquitetura de segurança comum na Europa, que melhorará o ambiente de segurança no continente e em toda a região Atlântica.

Segundo fontes da organização,não se pretende criar um sistema único, mas ver como é possível compatibilizar" o sistema aliado e o da Rússia.

A aprovação do escudo defesa antimísseis na cúpula que os chefes de Estado e do governo dos 28 países da Otan começam nesta sexta-feira em Lisboa é uma das grandes apostas da organização para esta reunião.

Tudo o que sabemos sobre:
OtanRússiaescudo antimísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.