Otan diz que site pode ter sido atacado

A Otan informou na quinta-feira que um dos seus sites foi alvo de uma suposta invasão de hackers, mas que a página não continha dados sigilosos.

REUTERS

23 de junho de 2011 | 19h36

Em nota, a aliança militar ocidental disse que seu site e-Bookshop, que tem acesso público e é operado por uma empresa terceirizada, está bloqueado.

A polícia especializada em crimes digitais foi notificada pela aliança sobre uma "provável violação de dados", disse a nota, sem dar detalhes.

"O e-Bookshop da Otan é um serviço à parte para o público, para a liberação de informações da Otan, e não contém nenhum dado sigiloso", disse a nota.

A aliança transformou a defesa contra hackers em uma prioridade, e a notícia do provável ataque ocorre depois de ministros da Defesa de seus 28 países aprovarem neste mês um plano de ação para a defesa cibernética.

Funcionários da Otan dizem que as medidas permanecerão em sigilo, mas revelaram que a intenção é colocar todos os órgãos e estruturas de comando da Otan sob uma proteção centralizada até 2012.

Um crescente número de invasões de redes digitais tem sido relatado por instituições e empresas nos últimos meses. Isso inclui o Fundo Monetário Internacional, a Lockheed Martin Corp., maior fornecedora de tecnologia da informação para o governo norte-americano, e as empresas Citigroup, Sony e Google.

(Reportagem de David Brunnstrom)

Tudo o que sabemos sobre:
OTANHACKER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.