Otan e UE iniciam "parceria estratégica"

A Otan e a União Européia começam a discutir os detalhes da cooperação militar entre as duas organizações, depois que um importante avanço, semana passada, liberou a força militar da UE para utilizar apoio da aliança ocidental. ?O que fizemos hoje foi lançar as fundações?, disse o secretário-geral da Otan, Lord Robertson, após a primeira reunião entre os dois organismos depois do acordo celebrado na sexta-feira. Um impasse de meses terminou na sexta-feira, quando a Turquia abandonou suas objeções à Otan emprestar serviços de planejamento e outros recursos para operações militares da União Européia. O acordo foi feito depois de a UE ceder às exigências da Turquia, garantindo que o braço militar da União não seria usado contra interesses turcos. Uma reunião de cúpula da UE também deu à Turquia a possibilidade de entrar em negociações para aderir à União, ?sem demora?, a partir de dezembro de 2004. O acordo de sexta-feira faz avançar os planos da União Européia de criar uma força de paz com a capacidade de deslocar até 60.000 homens. ?Isso é muito, muito importante para o povo da Europa?, disse o chefe de segurança e exterior da UE, Javier Solana. A União Européia poderá iniciar sua primeira operação militar em fevereiro, assumindo as posições da Otan na Macedônia. A cúpula da União Européia em Copenhague (Dinamarca) também se ofereceu para assumir as tarefas de força de paz na Bósnia, onde a Otan mantém 17.000 homens.

Agencia Estado,

16 Dezembro 2002 | 14h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.