Otan estuda manter força maior no Afeganistão

Os Estados Unidos e a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estudam uma proposta para manter o tamanho de suas forças no Afeganistão - de 352 mil homens - até o final de 2018, nível mais alto do que o planejado inicialmente, informaram funcionários da Otan nesta quinta-feira.

AE, Agência Estado

21 de fevereiro de 2013 | 14h38

A mudanças, que está sendo discutida durante uma reunião da Otan em Bruxelas nesta semana, da qual participa do secretário da Defesa norte-americano Leon Panetta, tem como objetivo tranquilizar Cabul e a outros aliados da região a respeito do comprometimento de longo prazo dos Estados Unidos e da Otan com o futuro do Afeganistão, disseram as fontes.

"Os integrantes da Otan estão considerando fortemente a proposta para manter o tamanho das Forças Nacionais de Segurança Afegãs (ANSF, na sigla em inglês) em 350 mil homens até o final de 2018", declarou uma autoridade sênior da Otan.

Projetos anteriores da Otan sinalizavam a redução do tamanho da ASNF para cerca de 240 mil no final de 2015, ideia de alarmou Cabul.

A manutenção de 352 mil homens por mais cinco anos vai custar aos Estados Unidos e a seus aliados da Otan bilhões de dólares a mais por ano, embora as autoridades digam que os números exatos ainda têm de ser definido. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
OtanAfeganistãoforças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.