Otan mata ao menos 18 supostos militantes no Afeganistão

Confronto mais grave aconteceu em ataque aéreo não-tripulado no sul do país, que deixou 13 mortos

Efe,

12 de janeiro de 2010 | 08h34

Pelo menos 18 supostos insurgentes morreram em várias operações militares da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão na segunda-feira, 11. 

O confronto mais grave aconteceu na segunda-feira na zona de Now Zad, no sul do país, onde as forças da coalizão "observaram um grande número de insurgentes junto a um refúgio preparando munição" e "movimentando equipes".

"Um veículo aéreo não-tripulado (UAV, sigla em inglês) lançou um míssil Hellfire e matou 13 insurgentes", indicou na nota a organização, que destacou que não há informações sobre mortes de civis no ataque.

Outros três supostos insurgentes "armados" morreram na segunda-feira no distrito de Nad Ali, também no sul, quando se preparavam para tomar posições "previamente usadas para disparar", segundo a organização.

 

"Um UAV lançou um míssil Hellfire, eliminou a ameaça e o impacto causou um pequeno buraco no muro de um recinto", acrescentou a Otan, que disse estar investigando ainda os danos.

 

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência e caos

Além disso, um suposto insurgente morreu também ontem na província de Kandahar, no sul do país, depois que um contingente entrou em contato com "uma ameaça iminente" após dar "várias advertências", sustentou a organização.

Um quarto ataque ocorreu no distrito de Shindand, na província de Herat, onde as tropas da Otan "mataram a conhecidos insurgentes" no marco de uma campanha contra a rede insurgente no vale de Zeerko.

"Nenhum civil afegão sofreu danos nessas operações", assegurou a organização, que não precisou o número de falecidos em Shindand.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.