Manu Brabo/AP
Manu Brabo/AP

Otan não acredita que regime de Assad use armas químicas na Síria

Secretário-geral ressaltou que organização continua defendendo a não intervenção no país

estadão.com.br,

10 de setembro de 2012 | 18h40

BRUXELAS - O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, assegurou nesta segunda-feira, 10, que a Aliança Atlântica não vê indícios de que o regime sírio de Bashar Assad irá utilizar armas químicas e ressaltou que a organização continua defendendo a não intervenção no país. "Não vemos passos nessa direção."

Veja também:

link Rússia diz que regime de Assad 'ainda está sólido'

link Enviado da ONU inicia diálogo sobre crise na Síria

Para vários países, como França e Estados Unidos, a possibilidade de Damasco utilizar armas químicas é motivo para uma ação militar internacional. Rasmussen não disse qual seria a postura da Otan neste caso e afirmou que se tratava de uma hipótese. "Nossa postura continua sendo a mesma. A Otan não tem nenhuma intenção de intervir militarmente na Síria."

A Aliança Atlântica rejeita qualquer comparação entre o conflito na Síria e o da Líbia, onde ocorreu uma intervenção com base em resolução das Nações Unidas. Nem mesmo a derrubada, em junho, de um avião do exército da Turquia (país membro da organização) pela Síria levou a Otan a mudar seu discurso, apesar dos aliados terem classificado o episódio como "inaceitável".

Com Efe

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.