Otan pede à Bélgica controladores aéreos ao Afeganistão

O pedido não diz respeito a tropas de combate, mas a grupos para guiar os ataques dos aviões da Otan

EFE

23 de agosto de 2008 | 06h20

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) pediu à Bélgica que envie grupos especiais de controladores aéreos à região sul do Afeganistão, a mais perigosa do país asiático. "A Otan formulou um pedido para que a Bélgica se comprometa com o sul afegão", declarou general Gérard van Caelenberge, chefe da Força Aérea belga, ao diário "Le Soir". O general disse que técnicos militares avaliam a questão, embora a resposta "venha a ser uma decisão política". O pedido não diz respeito a tropas de combate, mas a grupos especiais de controladores aéreos que acompanham as unidades terrestres para guiar a ação dos ataques dos aviões da Otan. Esses controladores aéreos avançados utilizam marcadores laser ou aparelhos com GPS para assinalar alvos aos aviões de combate da Otan. A Bélgica enviará a próxima semana ao Afeganistão quatro caças-bombardeiros F-16 e 98 militares à cidade de Kandahar, também no sul do país asiático. Até agora, a Bélgica, assim como os outros países da Otan, tinha evitado que suas forças terrestres atuassem no sul afegão, a região mais perigosa do país asiático devido à ação dos talibãs.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistão, Otan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.