Otan pede ratificação do Start

Para secretário-geral do bloco, acordo é do interesse da aliança atlântica ocidental

estadão.com.br,

17 de novembro de 2010 | 19h19

LISBOA - O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Anders Fogh Rasmussen, defendeu nesta quarta-feira, 17, que o Senado americano ratifique o novo tratado de desarmamento nuclear com a Rússia.

Veja também:

especialAs armas e ambições das potências nucleares

"Uma ratificação rápida é do interesse da Otan", disse Rasmussen a jornalistas em Lisboa.

O novo Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Start, na sigla em inglês) deve substituir o antigo, assinado em 1991, e prevê a redução em um terço da capacidade nuclear dos dois países.

Na terça-feira, o vice-líder republicano no Senado, Jon Kyl, disse ser improvável que o tratado seja aprovado até o final do ano.

Hoje, o governo Obama lançou uma ofensiva pela aprovação do tratado. A secretária de Estado, Hillary Clinton, o vice-presidente, Joe Biden, vieram a público defender o Start.

 

Eles pediram sua aprovação antes da posse do novo Congresso, em fevereiro, no qual os democratas terão seis cadeiras a menos. Hoje, com 60 assentos, o governo precisa de mais sete votos.

Leia ainda:

linkObama crê em aprovação até dezembro

linkBiden: não ratificação coloca o país em risco

linkHillary pede rapidez em ratificação
 

Com Efe

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.