Gul Rahim/AFP
Gul Rahim/AFP

Otan promete investigar morte de civis afegãos

Ataque da aliança, no sábado à noite, teria matado pelo menos 14 mulheres e crianças

The New York Times, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2011 | 00h00

A Otan informou ontem que investigará o caso de bombardeios da aliança que resultaram na morte de civis no Afeganistão. Funcionários do governo afegão informaram que um ataque aéreo da Otan contra a Província de Helmand, no sul do país, deixou 14 civis mortos na noite de sábado, todos eles mulheres e crianças. Outras seis pessoas ficaram feridas.

Representantes do governo afirmam que o ataque tinha como alvo combatentes do Taleban, mas acabou atingindo o local errado.

O tenente Tyler Balzer, porta-voz da Força de Assistência Internacional de Segurança, liderada pela Otan, disse que muitas bombas foram lançadas, e também que detalhes mais específicos sobre a operação - como a possibilidade de terem sido empregados helicópteros - só seriam fornecidos ao término das investigações. "Estamos cientes das queixas do governador e confirmamos a existência de ataques aéreos na região", disse ele. "No momento, temos uma equipe investigadora trabalhando no local ao lado do governo afegão."

A Otan está investigando também o ataque aéreo realizado na semana passada na Província do Nuristão, que expulsou combatentes do Taleban depois que eles já tinham assumido o controle de parte de um centro distrital. A força conjunta composta por soldados da Otan e comandos afegãos solicitou cobertura aérea quando foi alvejada no centro distrital de Do Ab, matando mais de dez insurgentes, de acordo com a Otan.

Mas funcionários do governo da província dizem que helicópteros da Otan também mataram mais de 20 policiais à paisana.

O tenente Balzer disse que uma equipe de investigação da Otan já estava no local há dias. Mas o incidente sublinha a natureza confusa desta guerra e a dificuldade enfrentada para distinguir os combatentes do Taleban dos policiais armados à paisana e dos civis.

Em fevereiro, investigadores afegãos acusaram a Otan pela morte de 65 civis em ataques aéreos contra o leste do país num episódio que, caso confirmado, terá sido um dos mais sangrentos para a população durante a guerra. Mas a Otan afirmou que os mortos eram insurgentes, e havia grande imprecisão entre as informações dos diferentes relatos, mesmo entre os representantes afegãos, em relação ao número de mortos.

As mortes de civis têm sido um dos temas mais problemáticos da guerra - e a Otan tem se esforçado para reduzi-las.

O porta-voz do presidente do Afeganistão, Wahid Omar, responsabilizou combatentes estrangeiros pelo planejamento e execução da sequência de ataques terroristas que sacudiu o país nos últimos meses, tentando afastar a culpa do Taleban afegão, apesar de o grupo ter reivindicado a autoria de muitos dos ataques citados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.