Otan quis ajuda do Brasil para cuidar da AL

A Organização para o Tratado do Atlântico Norte (Otan) propôs um acordo com o Brasil para ajudar na segurança da América Latina e, como consequência, conter ambições de atores mais radicais dentro da região. A proposta foi feita ao ex-chanceler Celso Amorim, em 2007, com o objetivo de levar o Brasil a uma aproximação em relação aos países do chamado "grupo ocidental".

Jamil Chade,

19 de fevereiro de 2011 | 00h37

O projeto não vingou, mas revelou a preocupação do alto comando da Europa e dos EUA com o caminho que a região tomava e a meta de atrair o Brasil para o mesmo bloco militar.

Resposta brasileira. A informação consta em um telegrama secreto da diplomacia americana de 2 de junho de 2007 divulgado pelo WikiLeaks.

A resposta de Amorim, segundo o telegrama, teria sido cautelosa e o ex-chanceler teria recebido a ideia com "a reticência já esperada". Segundo o relator do telegrama, haveria a possibilidade de manter o diálogo com Amorim sobre o assunto.

Ao Estado, assessores do departamento que se ocupa da relação da Otan com países não membros confirmaram ontem que há o desejo de trazer o Brasil para uma "zona de confiança" mais próxima.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.