Otan reabre estradas que ligam Kosovo a Sérvia

Protesto em Kosovska Mitrovica reunia 3 mil sérvios; estradas foram fechadas pela ONU na terça-feira, 19

Agência Estado e Associated Press,

20 de fevereiro de 2008 | 15h27

Tropas de paz da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) reabriram nesta quarta-feira, 20, as conexões rodoviárias entre o Kosovo e a Sérvia, um dia depois de terem fechado a fronteira.   Veja também: Kosovo faz o mundo pisar em ovos  Entenda o que está em jogo em Kosovo Mapa: a disputa dos Bálcãs  Veja lista de países que reconhecem a independência do Kosovo    Desde de terça-feira, 19, policiais da Organização das Nações Unidas (ONU) protegiam postos carbonizados, em meio aos protestos de milhares de sérvios contra a independência declarada no domingo, 17, pelos líderes albano-kosovares.   Gritando "não desistiremos do Kosovo", mais de 3 mil sérvios protestaram em uma ponte que divide a tensa cidade de Kosovska Mitrovica. Policiais da ONU isolaram a ponte e helicópteros da Otan sobrevoavam o local.   Os participantes denunciaram os países que reconheceram rapidamente a independência kosovar. Era possível ver diversos manifestantes com bandeiras da Espanha, país da União Européia (UE) que se recusou a reconhecer a independência de Kosovo, por temer que a decisão encoraje movimentos separatistas dentro de seu território.   Depois de dois postos de fronteira no norte do país terem sido destruídos na terça-feira, 18, a Otan isolou a região em meio a temores de que militantes sérvios cruzassem a fronteira.   Horas antes da reabertura, Nebojsa Radulovic, líder da comunidade sérvia de Kosovo, advertiu que os sérvios continuariam protestando, "com conseqüências imprevisíveis", se a Otan não liberasse as estradas.   Os sérvios de Kosovo querem que os postos de fronteira sejam retirados, alegando que pão, leite e outros itens básicos não foram enviados pela Sérvia nesta quarta-feira, 20, por causa do bloqueio.   A Otan e a ONU comandarão futuros postos improvisados na fronteira, que não terá a presença da polícia kosovar, informaram autoridades locais.   Tensões no reconhecimento do novo país   O ministro das Relações Exteriores da Sérvia, Vuk Jeremic, declarou ainda nesta quarta-feira, 20, que as relações entre Belgrado e as capitais que reconheceram o Kosovo sofreram danos permanentes.   Até agora, o novo país recebeu apoio de vários Estados, entre eles os EUA, Grã-Bretanha, França, Itália e Alemanha. Rússia e China declararam-se contra a separação do território kosovar.

Tudo o que sabemos sobre:
KosovoSérviaOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.