Otan rejeita acusação da Líbia sobre morte de civis

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) rejeitou neste sábado as acusações de que uma ação da aliança atingiu uma área civil de Brega, matando 15 pessoas. "A Otan atacou prédios numa área abandonada de Brega. Os alvos que atingimos eram legítimos", disse o porta-voz da missão da aliança na Líbia. "Passamos um longo período observando a área e nos certificando. Fizemos planejamento meticuloso." Para a Otan, disse ele, "qualquer pessoas na área naquele momento representava alvo militar legítimo".

AE, Agência Estado

25 de junho de 2011 | 13h15

A agência estatal de notícias Jana informou que o ataque deste sábado atingiu um restaurante e uma padaria e também citou outros cinco civis mortos em ações no dia anterior.

Em seu relatório diário sobre as operações, a aliança informou que na sexta-feira havia atacado 35 alvos, dentre eles veículos militares e instalações ao redor de Brega, uma importante cidade de refino de petróleo a cerca de 800 quilômetros a leste de Trípoli e a 240 quilômetros a sudoeste de Benghazi.

"Estamos cientes das acusações sobre a morte de civis, mas não podemos confirmar a validade da afirmação", disse o porta-voz.

O comandante da Otan na Líbia, Charles Bouchard, disse na sexta-feira que a Otan tem como alvo "a condenável tática de (Muamar) Kadafi de colocar recursos e operações militares no coração de bairros civis". "Nós monitoramos meticulosamente esses locais por um período de tempo significativo, suficiente para eliminar essa ameaça", disse ele. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesOtan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.