Otan teme que barcos com imigrantes no Mediterrâneo escondam terroristas

Comandante acredita que entre os refugiados também possa haver membros do crime organizado

O Estado de S. Paulo

21 de maio de 2015 | 15h41

BRUXELAS - O comandante da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Philip Breedlove, disse estar preocupado com a possibilidade de que barcos com imigrantes africanos que cruzam o Mar Mediterrâneo para chegar à Europa também possam estar carregando criminosos e potenciais terroristas.

"Nós não sabemos o que ou quem está no meio desses migrantes vindos do norte da África. Alguns são refugiados legítimos, mas outros passageiros nós acreditamos que podem fazer parte do crime organizado e, sim, nós acreditamos que pode haver elementos extremistas", afirmou Breedlove, que também é general da força aérea americana.

O comandante deu a declaração durante uma entrevista coletiva após um encontro do comitê militar da Otan, em Bruxelas, e disse que outros oficiais da aliança militar também estão preocupados com quem pode estar nos barco e balsas improvisadas que carregam refugiados da Líbia e outros países da África e Oriente Médio até a Europa. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.