Otan vai assumir operação militar na Líbia

Secretário-geral diz que 23 membros da aliança concordaram com transferência do comando da missão.

BBC Brasil, BBC

24 de março de 2011 | 20h00

Transferência do comando pode ocorrer já neste fim de semana

O secretário-geral da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), Anders Fogh Rasmussen, anunciou nesta quinta-feira que a aliança vai assumir o controle da ofensiva militar internacional na Líbia.

Segundo Rasmussen, os 28 países que integram a organização concordaram em agir para frear os ataques contra opositores pelas forças do coronel Muamar Khadafi. A mudança do comando pode ocorrer já neste fim de semana.

Antes, o primeiro-ministro da Turquia, membro da Otan que vinha expressando reservas quanto à possibilidade de que a aliança assumisse a missão, disse que o grupo tinha chegado a um acordo.

"Chegamos a um consenso. As operações serão completamente transferidas para a Otan", disse Ahmet Davutoglu, de acordo com a agência de notícias turca Anatolia.

O premiê afirmou que as ressalvas que seu país tinha em relação à transferência do comando foram eliminadas.

Segundo Davutoglu, o acordo foi fechado após uma teleconferência entre ele e seus colegas dos Estados Unidos (Hillary Clinton), Grã-Bretanha (William Hague) e França (Alain Juppé).

"Todas as partes envolvidas expressaram suas preocupações, mas tivemos uma discussão muito eficiente e negociamos para minimizar esses temores", afirmou.

De acordo com o correspondente da BBC em Bruxelas, James Landale, o novo acordo permitirá que as forças da Otan coordenem os diferentes elementos da operação - o embargo a armas, a zona de exclusão aérea e a ação militar para proteger os civis.

Fontes diplomáticas afirmaram à BBC que seria uma estrutura semelhante à que opera no Afeganistão atualmente.

Também nesta quinta-feira, o chanceler britânico, William Hague, disse que seu governo continua em contato com rebeldes líbios para que iniciem os preparativos para um processo de transição de poder.

Hague disse que as negociações estão sendo feitas com o Conselho Nacional Interino, baseado na cidade de Benghazi (leste da Líbia), e que um representante da organização foi convidado para a conferência internacional sobre a Líbia que o governo britânico organiza em Londres, na próxima terça-feira.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.