Phil Noble / Reuters
Phil Noble / Reuters

Johnson diz a ministro irlandês que acordo do Brexit pode ser alcançado antes do prazo

Otimista, premiê britânico afirma que pacto sobre a questão da fronteira irlandesa pode ser garantido a tempo de permitir uma saída suave do Reino Unido da União Europeia até o dia 31 de outubro

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2019 | 07h37

LONDRES - O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, expressou otimismo nesta segunda-feira, 9, ao dizer que um novo acordo para o Brexit pode ser alcançado e, assim, o Reino Unido poderia deixar a União Europeia (UE) no dia 31 de outubro.

Falando ao lado do primeiro-ministro irlandês, Leo Varadkar, em Dublin, Johnson afirmou que um acordo sobre a questão da fronteira da Irlanda pode ser garantido a tempo de permitir uma saída britânica suave da UE até a data programada.

Para o premiê britânico, uma saída “sem acordo” representaria uma “falha política” e que todos os lados envolvidos seriam responsáveis por isso.

Varadkar ressaltou que a UE não recebeu até o momento nenhuma proposta "realista" de Londres com relação ao backstop (mecanismo que impede a criação de uma fronteira entre as Irlandas).

Para Entender

Brexit: guia sobre a saída do Reino Unido da União Europeia

Entenda a origem do processo de separação entre Londres e Bruxelas, saiba o que já foi negociado entre as partes e conheça quais são os próximos passos previstos para o processo.

Ele "continua sendo um elemento essencial no acordo de retirada até que se encontre uma alternativa", afirmou Varadkar ao receber o Johnson para discussões sobre o Brexit. "Estamos abertos a alternativas, mas devem ser realistas (...). Não recebemos até o momento nenhuma proposta deste tipo", completou.

Negociações sobre o backstop 

O backstop tem o objetivo de evitar uma nova fronteira na ilha da Irlanda que coloque em perigo o Acordo de Paz da Sexta-Feira Santa de 1998.

A oposição a esse recurso foi a principal razão pela qual o Parlamento britânico rejeitou o acordo do Brexit da ex-premiê Theresa May com a UE três vezes neste ano.

Varadkar afirmou ainda que uma saída “sem acordo” causaria severos problemas econômicos para a Irlanda, agora que os controles nas fronteiras foram eliminados por um longo período.

O líder irlandês disse que são necessárias mais negociações e que o Acordo de Paz deve ser respeitado.

O encontro dos dois premiês em Dublin marca a primeira vez em que eles se reuniram desde que Johnson assumiu o cargo, em julho.

Varadkar ressaltou que não espera uma resolução para o impasse sobre como a fronteira irlandesa será tratada depois que o Reino Unido deixar a UE.

Planos de Johnson

Johnson planeja pressionar o Parlamento ainda nesta segunda a apoiar o seu plano de antecipar as eleições, mas partidos de oposição afirmaram que votarão contra essa medida. Eles querem ter certeza de que uma saída “sem acordo” está bloqueada antes de concordarem com o pleito antecipado.

Um novo projeto que tenta forçar Johnson a buscar um adiamento para o Brexit antes de 31 de outubro deve se tornar lei nesta segunda. O premiê afirmou que não trabalhará para essa prorrogação. O governo dele estuda a medida para encontrar possíveis brechas que permitam uma mudança legal. / AP e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.