EFE/Yonhap
EFE/Yonhap

Otimista, Trump antecipa em 15 horas retorno de Cingapura após reunião com Kim

Segundo a Casa Branca, negociações preliminares sobre armas nucleares avançaram avançaram 'mais rápido do que o esperado'

O Estado de S.Paulo

11 Junho 2018 | 13h24

CINGAPURA - O presidente americano, Donald Trump, planeja sair mais cedo de Cingapura, onde realiza às 9 horas desta terça-feira (22 horas desta segunda pelo horário de Brasília) a cúpula histórica com o líder norte-coreano, Kim Jong-un. Segundo a Casa Branca, as negociações sobre armas nucleares entre os dois países aconteceram "mais rapidamente do que o esperado".

Trump programava voltar para Washington na manhã de quarta-feira, depois de passar a terça-feira com Kim. No entanto, na véspera da reunião, o presidente alterou sua programação, escolhendo retornar às 20h da terça, após um dia inteiro de reuniões com a Coreia do Norte. A alteração antecipa em 15 horas o retorno de Trump aos EUA.

+ 1866: um marco na hostilidade entre americanos e coreanos

+ Cada passo do encontro entre Trump e Kim será ensaiado por protocolo

Segundo comunicado emitido pela Casa Branca, as discussões entre os dois países já estão ocorrendo e progrediram rápido. No entanto, a presidência americana não especificou quais avanços foram alcançados nas discussões preliminares entre autoridades americanas e norte-coreanas.

+ ‘Chegar à desnuclearização demandará muito tempo’

Apenas algumas horas antes do comunicado, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, pareceu ter poucas expectativas sobre o encontro. "Estamos esperançosos de que esta cúpula estabeleça as condições para futuras negociações bem-sucedidas", disse Pompeo. Anteriormente, Trump chegou a afirmar que a cúpula poderia render um acordo imediato para dar um fim à Guerra da Coreia, mas logo admitiu que era o começo de uma série de negociações.

Roteiro.

Depois de se cumprimentarem, Kim e Trump farão uma reunião a sós. Este primeiro encontro pode durar até duas horas, segundo informou um funcionário dos EUA, que falou à imprensa sob a condição de anonimato. Apenas tradutores acompanharão os líderes.

+ Pária até o começo do ano, Kim Jong-un é tratado como estadista

De acordo com a Casa Branca, a cúpula também incluirá um almoço e uma reunião maior, envolvendo assessores de ambos os líderes. Trump será acompanhado por Pompeo, por seu chefe de gabinete, John Kelly, pelo conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, e pelo embaixador dos EUA nas Filipinas, Sung Kim, além de outra autoridades.

+ Pressão para Trump obter acordo com Kim aumenta após fracasso no G-7

Antes de voltar para casa, Trump planeja falar com repórteres ainda em Cingapura. O presidente afirmou, nesta segunda-feira, que prevê um resultado "bom". / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.