Outra pessoa estava no quarto de Strauss-Kahn, diz jornal 'Le Figaro'

Um funcionário do hotel estava no quarto do ex-diretor quando camareira entrou no local

Efe,

19 de maio de 2011 | 11h45

Ex-diretor-geral do FMI é acusado de abusar sexualmente de uma camareira. Foto: Reuters

 

PARIS - Um funcionário do hotel estava no quarto do ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss Kahn quando a camareira que o acusa de abuso sexual entrou no local, informou nesta quinta-feira, 19, "Le Figaro".

 

Veja também:

blog CHACRA: Pior mostrar suspeito algemado ou divulgar nome de vítima?

som Estadão ESPN: Diretor do FMI declara que não é culpado

especial Políticos e seus escândalos sexuais

 

Como revelaram fontes próximas à cadeia proprietária do hotel Sofitel, onde ocorreram os fatos, citadas pelo periódico francês, o homem estava levando o café da manhã de Strauss-Kahn quando a empregada do serviço entrou e perguntou se podia começar a limpar o quarto.

 

O funcionário indicou que havia concluído seu trabalho e que a suíte estaria vazia, com o que a camareira Nafissatou Diallo não saberia que o político francês estava nesse momento no banho e pensou estar sozinha no local.

 

Caso seja confirmada a presença dessa terceira pessoa, seu testemunho sobre o estado do quarto e o de Diallo poderia ser importante para a investigação, principalmente porque não havia nenhuma câmera no corredor que leva ao quarto 2806.

 

Igualmente, seria relevante determinar o momento exato em que ocorreu tudo.

 

Saiba mais:

linkDominique Strauss-Kahn renuncia como chefe do FMI

linkCamareira diz não saber quem era Strauss-Kahn

linkMulher nega 'sexo consensual' com DSK

linkStrauss-Kahn deve alegar sexo consensual

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.