Outro tablóide britânico pode ter feito escutas ilegais

Investigação da BBC encontra evidências contra o Sunday Mirror.

BBC Brasil, BBC

23 de julho de 2011 | 12h12

Uma investigação da BBC encontrou evidências de que o tabloide britânico Sunday Mirror também pode ter feito escutas telefônicas ilegalmente.

O jornal é do grupo Trinity Mirror e concorria com o News of the World, de Rupert Murdoch, fechado recentemente após revelações de que grampeou ilegalmente telefones do país.

O programa da BBC Newsnight falou com um jornalista que trabalhou no Sunday Mirror na década passada e afirmou ter testemunhado rotineiramente as escutas ilegais sendo feitas na redação, incluindo o telefone de celebridades como a atriz Liz Hurley e o jogador de futebol Rio Ferdinand.

"Certa vez na redação presenciei o telefone de Liz Hurley ser grampeado e um repórter ouvir suas mensagens de celular enquanto anotava o conteúdo", disse a fonte.

"Era uma quinta-feira e me disseram que não havia muito lá de interessante, apenas algo sobre um jantar com outra mulher, então eles continuariam tentando até o fim de semana."

O jornalista diz que a técnica de grampos era usada diariamente.

"Repórteres especialmente designados faziam isso todos os dias. Um deles era tão bom que foi apelidado 'mestre nas artes negras'."

"Em certo momento, em 2004, parecia que esta era a única forma de se conseguir um furo de reportagem."

O jornalista disse que o Sunday Mirror contratou um artista para imitar vozes de celebridades e conseguir detalhes como suas fichas médicas pelo telefone.

O Trinity Mirror disse que seus jornalistas trabalham de acordo com as leis criminais e o código de conduta para a imprensa britânica.

"A posição do Trinity Mirror é clara. Nossos jornalistas trabalham de acordo com as leis criminais e o código de conduta da Press Complaints Comission (Comissão de Reclamações de Imprensa)", disse a empresa por meio de um comunicado.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.