Outro torso dentro de uma mala, boiando na baia do Texas

A fisgada do pescador trouxe uma mala que boiava na Baia de Galveston, no Texas. Dentro, um torso sem cabeça. Logo depois, ele achava uma sacola de plástico. A cabeça estava nela. Segundo a polícia, três pessoas foram detidas, hoje, para interrogatório, mas ninguém foi acusado.As partes do corpo foram descobertas domingo, a cerca de 1,5 quilômetro de onde outro torso sem cabeça foi descoberto há dois anos, num caso que mereceu ampla cobertura da imprensa, envolvendo o herdeiro de uma grande imobiliária nova-iorquina, Robert Durst. Ele acaba de ser absolvido da acusação de assassinato, num julgamento que terminou no mês passado.A polícia identificou os restos como sendo de Ranferi Arizaga, de 30 anos, de Houston.A porta-voz da polícia de Houston, Sandra Aponte, revelou que Arizaga era tido como desaparecido há alguns dias, mas disse que poucos outros detalhes são conhecidos. Os braços e pernas de Arizaga não foram encontrados, disse o xerife de Galveston, Ray Tuttoilmondo.O comissário de Galveston, Eddie Janek, que mora perto, contou que estava de guarda domingo, enquanto a polícia recuperava o corpo, que estava embrulhado num saco plástico. Ele também estava de vigia em 2001, quando os policiais encontraram o corpo de Morris Black, de 71 anos, o homem que foi morto por Durst.?Estava tão claro no domingo que, provavelmente, eu poderia ver a mala da minha varanda?, disse Janek ao Houston Chronicle.A polícia nunca achou a cabeça de Black, mas defesa e acusação, durante o julgamento, concordaram em que ele foi morto por uma bala na cabeça.Durst testemunhou que Black foi morto acidentalmente, enquanto os dois brigavam pela posse de uma pistola. Disse que, em pânico, desmembrou o corpo para poder escondê-lo. Disse também que afundou a cabeça de Black na baia, perto da casa de Janek, junto com outras partes do corpo. Para os promotores, Durst sumiu com a cabeça para garantir que ela nunca poderia ser examinada pelos médicos forenses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.