Overbooking pagará US$ 1,3 mil a passageiro

A Comissão Européia de Transporte e Energia vem preparando um projeto que vai aumentar para 1,5 mil euros (cerca de US$ 1,3 mil pela cotação desta terça-feira) as compensações que as companhias aéreas terão de pagar aos passageiros que não consigam embarcar por causa de "overbooking" (mais reservas do que assentos disponíveis nas aeronaves) ou por cancelamento de vôos por motivos comerciais.Essa proposta, se aprovada, multiplicaria por cinco a compensação máxima atual e manteria a obrigação de conceder ao passageiro a possibilidade de escolher entre continuar viagem em vôo alternativo ou renunciar a ele com o reembolso da passagem."Bruxelas (sede da Comissão Européia, órgão executivo máximo da União Européia) está optando por uma estratégia de dissuasão para combater o overbooking, apesar de a Comissão de Transporte e Energia ter se mostrado favorável a proibir essa prática, comum entre as companhias aéreas", informou nesta terça-feira o jornal espanhol Expansión.De acordo com a proposta, a metade das vezes em que se nega o embarque ao passageiro é por motivos operacionais, como atraso nos vôos, que faz com que os passageiros acabem perdendo as suas conexões. O resto (a outra metade) se deve a estimativas das companhias aéreas sobre o número de pessoas que, tendo reservado um lugar, eventualmente não se apresentam."As operadoras precisam certa flexibilidade para fazer frente a acontecimentos inesperados, mas hoje não existem obstáculos que impeçam aspirar níveis de ocupação excessivamente altos", argumenta a proposta da comissão.O novo regulamento, acrescenta a proposta, pretende encontrar um equilíbrio ente os benefícios que as companhias têm com o "overbooking" e os prejuízos aos passageiros.A estratégia para minimizar esse prejuízos inclui ainda a criação da "figura do voluntário", um passageiro que decide ceder seu lugar no avião onde foram vendidos lugares além da capacidade do avião e negocia sua compensação com a companhia área, informa o jornal espanhol.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.