Oviedo é lançado candidato à Presidência no Paraguai

O ex-general golpista Lino César Oviedo foi apresentado como candidato à Presidência pelo novo partido União Nacional dos Cidadãos Éticos (Unace) nas eleições de abril próximo. Carlos Galeano Perrone, representante legal de Oviedo, confirmou na segunda-feira à rádio Montecarlo da capital, Assunção, que "a primeira convenção (assembléia) da Unace, realizada no domingo, confirmou a candidatura de nosso líder". Acrescentou que o ex-general está residindo no Brasil, "transferindo-se de uma cidade para outra, de acordo com suas atividades. Não sofre nenhuma restrição, por parte do governo brasileiro, para sua mobilidade". O Superior Tribunal de Justiça do Brasil rejeitou, no início deste ano, o pedido de extradição encaminhado pela Justiça paraguaia para que Oviedo responda por sua suposta participação intelectual na morte do vice-presidente Luis María Argaña, ocorrido em março de 1999. O ex-chefe do Exército paraguaio tem pendente o cumprimento de uma condenação a 10 anos de prisão por sua tentativa de golpe contra o então presidente Juan Carlos Wasmosy. A condenação foi confirmada em 1998 pela Corte Suprema de Justiça paraguaia, em decisão inapelável. "Oviedo retornará oportunamente ao Paraguai para dirigir o povo", afirmou em tom entusiástico Galeano Perrone.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.