Oviedo é o favorito em pesquisa para presidente do Paraguai

O ex-general golpista Lino Oviedo é o favorito entre os possíveis candidatos à presidência do Paraguai, segundo pesquisa divulgada hoje por um jornal local, apesar de uma condenação judicial o impedir de concorrer as eleições de 2003. Oviedo foi condenado a 10 anos de prisão e teve retirada a patente militar por uma tentativa de golpe em 1996 - o que lhe valeu a condenação, que ainda não foi cumprida. Além disso, foi acusado de ordenar o assassinato do vice-presidente Luis Argaña e um massacre de sete manifestantes em março de 1999 - que também valeu ao ex-general a abertura de novos processos. Atualmente, Oviedo está refugiado no Brasil, após o governo brasileiro negar o pedido de extradição para o Paraguai no final do ano passado. Uma pesquisa realizada pelo jornal ABC coloca o ex-militar em primeiro lugar entre os candidatos, se as eleições fossem hoje. Oviedo obteve 29,7% das preferências eleitorais, com uma ligeira vantagem sobre o atual presidente do governante Partido Colorado, Nicanor Duarte (com 28,3%); em terceiro lugar, ficou o candidato Julio César Franco, do opositor Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), com 18,2%. Na segunda-feira, a Justiça eleitoral paraguaia anunciou que o país terá eleições presidenciais e parlamentares no dia 27 de abril de 2003.

Agencia Estado,

27 Agosto 2002 | 16h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.