Paciência dos iraquianos está acabando, diz líder xiita

Um destacado clérigo muçulmano xiita convocou uma resistência pacífica contra a ocupação americana do Iraque, mas advertiu que seus seguidores estão perdendo a paciência. Em Bagdá, três homens dispararam contra fiéis ao fim das orações matinais numa mesquita sunita, ferindo três pessoas.O imã Sadreddine al-Qobanji foi ovacionado pelos 15.000 fiéis concentrados na Mesquita Imã Ali, o mais sagrado santuário xiita no Iraque, ao pregar a resistência. Ele disse que o atentado a bomba da semana passada na frente da mesquita - que matou o aiatolá Mohammed Baqir al-Hakim e de 85 a 125 outras pessoas - foi executado para semear a discórdia no Iraque."Uma vez que percebermos que essa estrada (da resistência pacífica) chegou a um beco sem saída, vamos adotar outros meios", adiantou al-Qobanji, que era vice de al-Hakim, o chefe do Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque (CSRII) e um adorado líder espiritual.Al-Qobanji também pediu mais apoio à Brigada Badr, a ala armada do CSRII. Tropas dos EUA ordenaram o desarmamento e desmobilização da brigada no começo da ocupação. "A Brigada Badr tem de continuar a existir e a prosperar. Ela tem de ser apoiada e reconhecida", pregou al-Qobanji. "A Brigada Badr somos todos nós", responderam os fiéis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.