Eugene Tanner/ AP
Eugene Tanner/ AP

Pacífico sofre novo tremor; mortos por tsunami são quase 200

Centenas de pessoas estão desaparecidas desde quarta-feira; jornal diz que brasileira está entre as vítimas

estadao.com.br,

02 de outubro de 2009 | 05h19

 Um forte terremoto, de 6,3 graus na escala Richter, foi registrado no mar ao longo da costa das ilhas de Tonga e de Samoa, no Oceano Pacífico, nesta sexta-feira, 2, onde há três dias um tremor causou um tsunami que levou a uma tragédia nas ilhas Samoa. O número de mortos pelo tsunami que arrasou as ilhas do Pacífico Sul chegou a quase duzentos, enquanto centenas ainda seguem desaparecidos.

 

Veja também:

Fotos: Veja galeria de imagens

 

Não houve alerta de tsunami após o abalo desta sexta. A Pesquisa Geológica dos EUA informou que o terremoto, a uma profundidade de 10 quilômetros, foi registrado a 242 quilômetros a noroeste da ilha de Neiafu, no arquipélago de Tonga. O epicentro foi a 377 quilômetros de Pago Pago, capital da Samoa Americana, ilha que também foi atingida pelo tsunami tsunami.

 

Dezenas de abalos menores têm estremecido a região desde quarta-feira, quando ondas gigantes varreram o sul do Pacífico, arrasando vilarejos e resorts turísticos na Samoa e na Samoa Americana. Pelo menos nove das quase 200 vítimas mortais do terremoto de Samoa se localizaram na vizinha Tonga, que se encontra fora do chamado "Anel de Fogo do Pacífico", mas sofre habitualmente terremotos de intensidade forte ou moderada pela atividade de vários vulcões submarinos.

 

As autoridades de Samoa ocidental confirmaram que o número de vítimas mortais já chega a 149, enquanto as da Samoa americana contabilizaram 34 mortos, além das nove vítimas em Tonga. Três dias depois do tsunami, o principal objetivo das equipes de resgate, que colaboram com a polícia, foca os trabalhos de busca nas zonas mais afastadas e nas ilhas vizinhas das centenas de pessoas que estão desaparecidas desde na quarta-feira.

 

O chefe do Serviço de Emergência de Samoa ocidental, Tony Hill, disse a Rádio Nova Zelândia, que devido às altas temperaturas os cadáveres se decompõem rapidamente, pelo que os membros das equipes de resgate estão tendo que trabalhar com tanques de oxigênio e máscaras, pelo forte odor.

 

Upolo, a segunda maior ilha de Samoa ocidental, alojava vários complexos hoteleiros repartidos por cerca de 70 aldeias, que foram destruídas em sua totalidade pelo terremoto e tsunami. Segundo dados da Cruz Vermelha samoana, o número de desabrigados chega a 32 mil, dos que uns 3 mil perderam seus lares. Oficiais alertam agora para o risco de epidemias.

 

Brasileira morta

 

Segundo a BBC, uma reportagem do jornal neo-zelandês The Dominion Post afirma que uma turista brasileira teria morrido no tsunami. A mulher, cuja identidade não foi revelada pelo jornal, estaria hospedada no resort Taufua Beach Fales, na praia de Lalomanu, no sudeste da ilha de Upolu, a região mais atingida pelo tsunami. Muitos dos hotéis no local têm bangalôs para os hóspedes na praia.

 

Mike Adye, funcionário da defesa civil na região de Hawke's Bay, disse ao jornal que, na hora do desastre, ele passou correndo pelo resort, gritando aos turistas para que corressem por suas vidas. Segundo ele informou ao jornal, quatro turistas morreram no resort: além da brasileira, duas crianças australianas e uma mulher neo-zelandesa. A reportagem da BBC Brasil não conseguiu confirmar a informação com a Embaixada Brasileira em Wellington, na Nova Zelândia.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoTonga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.