Pacifistas farão escudo humano em campo palestino

Cerca de 100 pacifistas pertencentes à caravana Action for Peace, que chegou hoje a Belém, passarão a noite no campo de refugiados de Dheisheh - considerado um dos objetivos mais prováveis da represália israelense, já que desse lugar partiu a camicase de 18 anos do último atentado suicida em Jerusalém. A decisão foi comunicada por telefone por Francesco Caruso, líder da organização No Global de Campania (sul da Itália), que faz parte do grupo de pacifistas. "Queremos dissuadir os militares israelenses de (efetuarem) eventuais bombardeios contra o campo de refugiados" explicou Caruso. "Esta é a nossa resposta a Ariel Sharon, que convida os pacifistas a abandonarem Israel: nós desobedecemos e, mais ainda, escolhemos deslocar-nos para um dos lugares mais visados pela agressão israelense, para fazer renascer uma esperança de paz", acrescentou o líder antiglobalização italiano. A Caravana da Paz, formada por aproximadamente 700 pessoas de diferentes nacionalidades, pertencentes a organizações antiglobalização, chegou na quarta-feira passada a Israel para realizar uma corrente humana de proteção à população palestina e também uma série de ações de desobediência civil contra o governo israelense de Ariel Sharon. O organizador desta caravana é o grupo Action for Peace, uma rede de associações que reúne vários setores da sociedade civil e dos sindicatos. Só da Itália partiram mais de 200 pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.