Pacote argentino deve incluir dolarização provisória

O pacote econômico que o ministro de Economia da Argentina, Domingo Cavallo, anunciará nesta tarde, deverá incluir também a dolarização provisória dos depósitos bancários no país. Além disso, deverá determinar também o congelamento parcial - e provisório - dos depósitos, restringindo os saques dos correntistas ao valor de 1.000 pesos por mês. Tais medidas terão validade por três ou quatro meses, prazo que será confirmado no anúncio do ministro Cavallo nesta tarde. Para os analistas, as medidas têm como objetivo frear o movimento de corrida aos bancos iniciado nos últimos dias e evitar assim uma forte crise de liquidez no sistema bancário. "O que o governo está tentando fazer com essa dolarização provisória é dar tranquilidade aos correntistas de que não haverá desvalorização de seus depósitos em pesos, uma vez que eles estarão em dólar. Dessa maneira, reafirmam também a intenção de manter o regime de conversibilidade", comentou hoje à Agência Estado o economista chefe do BBV Banco, Octavio de Barros. Para ele, os prazos de validade das novas medidas guardam relação com os prazos para o encerramento das operações de troca (swap) da dívida interna e externa que estão sendo feitas neste momento. "Estão apostando que, depois desse tempo e com as operações de swap bem sucedidas, as coisas voltem à normalidade e retome-se a confiança", explica. Estrago - Ele pondera, no entanto, que há potenciais riscos para o sistema bancário mesmo com as limitações para as retiradas dos depósitos. "Não conheço o número de correntistas na Argentina, mas imagino que haveria um grande estrago para o sistema se todo mundo resolvesse sacar os 1.000 pesos a que têm direito", avalia o economista do BBV. Segundo informações dos jornais argentinos, o anúncio das novas medidas deverá ser feito por volta das 17 horas (18 horas no Brasil).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.