Pacote de ajuda deve ser votado nesta manhã nos EUA

Líderes republicanos e democratas dos Estados Unidos afirmaram ter chegado neste domingo à base de um acordo sobre o plano de resgate proposto pelo governo Bush para arrefecer a crise financeira. O anúncio oficial pode ser feito após a assinatura do acordo, que deve acontecer na manhã deste domingo, quando a Câmara Baixa pode retomar suas sessões e votar o projeto de lei. Já o Senado não tem atividades previstas para hoje e não abrirá suas portas até segunda-feira. Os líderes democratas tinham insistido em que seu objetivo era alcançar um acordo no domingo antes da abertura das bolsas asiáticas."Fizemos um grande progresso. Mas temos que colocar tudo por escrito para alcançar um acordo formalmente", declarou a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, ao fim de uma reunião no Congresso no começo da madrugada de hoje. Segundo ela, a Casa pode votar o projeto de lei ainda hoje, e o Senado, na segunda-feira. Nacy Pelosi, o secretário de Finanças, Henry Paulson, o líder democrata no Senado, Harry Reid, e o chefe do partido republicano nas negociações, Roy Blunt, falaram com a imprensa após a reunião. "Ainda temos que fazer algumas coisas para finalizá-lo, mas acho que chegamos lá", afirmou o secretário. "Trabalhamos duro e tivemos um grande progresso sobre um acordo que, creio, deve ser efetivo no mercado", afirmou. Segundo Blunt, ainda é necessário ver como o acerto verbal será passado para o papel. "Mas acredito que poderemos fazer o anúncio domingo", disse ele. O esboço do plano autoriza o pedido original de Bush para usar US$ 700 bilhões do Tesouro dos EUA para o governo comprar títulos podres ligados ao mercado imobiliário de bancos de investimento e outras entidades financeiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.