Pacote suspeito no metrô de Roma continha cimento

Um pacote suspeito encontrado em um trem vazio do metrô de Roma, que causou um alerta de bomba ontem, continha apenas cimento, e não pólvora, como foi afirmado anteriormente. Segundo informou a imprensa italiana, o pacote também não tinha nenhum detonador. Eram apenas dois pequenos canos de metal cheios de cimento, ligados a fios e uma antena.

AE, Agência Estado

22 de dezembro de 2010 | 12h27

Maurizio Mezzavilla, chefe da força policial Carabinieri em Roma, disse ontem que o pacote foi feito por "um especialista" e poderia ser uma espécie de aviso. O jornal Corriere della Sera afirmou em editorial que o pacote suspeito "poderia ter o objetivo de criminalizar aqueles que protestam". Estudantes tomaram as ruas da Itália hoje para protestar contra o governo, em meio a uma forte presença policial. Há uma semana, violentos confrontos em Roma deixaram quase 200 feridos.

O pó contido dentro dos canos de metal encontrados no pacote foi analisado por cientistas da polícia na noite de ontem, segundo a imprensa italiana. Após o exame, concluiu-se que havia cimento no pacote, e não pólvora como chegou a ser dito por funcionários do metrô e investigadores. A bomba falsa foi encontrada perto da estação de Rebibbia, no nordeste de Roma, após os últimos passageiros deixarem o vagão que fazia o trajeto da Linha B, vindo do centro da capital italiana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Itáliametrôterrorismosuspeita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.