Pacto com Rússia causa briga em Parlamento ucraniano

O Parlamento da Ucrânia aprovou hoje a permanência da frota russa no Mar Negro, dentro de território marítimo ucraniano, até 2042. O acordo foi fechado pelos presidentes dos dois países na semana passada e ratificado em uma sessão caótica do Parlamento ucraniano. Na reunião parlamentar foram lançados ovos, bombas de fumaça e houve pancadaria entre os legisladores.

AE, Agência Estado

27 de abril de 2010 | 09h36

O acordo gerou grande controvérsia na Ucrânia, uma ex-república soviética que está na zona de influência russa. O pacto consolidado representa a maior aproximação do país com a Rússia desde a eleição do presidente Viktor Yanukovych, em fevereiro. O acordo foi ratificado por 236 parlamentares, dez votos a mais que o necessário para aprová-lo.

Milhares de ucranianos protestaram nas proximidades do Parlamento. A oposição, liderada pela ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko, qualificou o pacto como uma traição aos interesses nacionais. Yanukovych também já enterrou as pretensões anteriores da Ucrânia de entrar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Essa era uma meta do antecessor dele, Viktor Yushchenko, visto como mais pró-Ocidente.

Em troca do acordo, a Ucrânia receberá um grande desconto no gás importado da Rússia até 2019. O governo local afirma precisar muito desse incentivo para reativar a economia do país, cujo Produto Interno Bruto (PIB) despencou 15% no ano passado. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaParlamentobrigaacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.